Olá! Hoje trago-te um tema menos… agradável. Dívidas? Como sair delas?!

Em primeiro lugar tens de QUERER verdadeiramente sair dessa situação… Sabes que te está a prejudicar, que provavelmente estás a pagar juros desnecessários, mas tens demasiada preguiça para agires de forma a acabares com ela?

Então este artigo não é para ti!

Por outro lado, se estás empenhado em livrar-te das dívidas e comprometido com esse objetivo mesmo que seja um processo demorado e enfadonho, então os meus parabéns!! É para ti que hoje falo! Para ti que tens vontade de ser melhor, de tomar as rédeas ao dinheiro e de te libertares dessa preocupação de dever dinheiro.

Há por esta internet fora muuuuitos lugares onde podes procurar passo-a-passo incríveis para te livrares das tuas dívidas, de forma bastante prática… Mas hoje eu gostava de ir um pouco mais longe contigo. Solucionar um problema sem solucionar a sua causa não serve de muito, certo?

Ok, queres antes o passo-a-passo? Vê este artigo do Dr. Finanças.

Na minha opinião, o que acontece quando decides fazer uma compra para a qual não tens dinheiro deve-se a…

Não estares preparado! Não estás preparado para:

1 Dizer “não” ao impulso que te levou a comprar: dizer “não” a ti próprio.

2 Lidar com o que os outros poderão pensar por não teres feito essa compra.

3 Ser tu próprio perante os outros.

4 Não ter o que os outros têm.

5 Te SENTIRES feliz por quem ÉS e não pelo que TENS.

E… além de todas estas 5 razões acima que têm muito a ver com auto-estima, status, percepção do outro e projeção de si próprio, etc… A principal razão porque tu contrais uma dívida é:

TU NÃO TE QUERES DAR AO TRABALHO.

Ops! Já disse! Yap. Tu não queres ter trabalho com soluções alternativas…

Comprar um carro quando só o vais usar aos fins de semana? Já pensaste que há todo um Imposto de Circulação para pagar? Parque? Revisão? Inspeção? Seguro? Achas que realmente é um “investimento” (um dia explico-te porque isto não é um “investimento”!) comprar algo que não vai ter uso só porque durante o fim de semana é tão bom ir à praia de carro? Ou ir fazer as compras do supermercado? (Sim, eu já quis comprar um carro por estas razões!)

Dá trabalho ir de transportes? Ou carregar as compras? SIM, dá trabalho! Mas se tu não tens dinheiro para comprar o carro porque raio haverias de o comprar? Estás a adicionar mais problemas à tua vida do que a verdadeiramente solucionar os que já tens! Sê creativo… Vai de bicicleta, de boleia, pede um carro emprestado a algum familiar ou amigo. Há sempre soluções!

Comprar um telemóvel topo de gama que custa mais que o teu salário do mês inteiro? Bem bom, vão ser só 10 meses sem juros não é? Não, não é! Trabalha primeiro e compensa-te depois! Assim nunca saberás o que é o gosto de alcançar algo com o teu próprio trabalho, com a tua dedicação! Treina estas pequenas coisas em ti e acredita que o que estás a ganhar é muito mais do que um telemóvel, é um sentido crítico, é uma capacidade de priorizar e escolher de forma INTELIGENTE.

ÉS CAPAZ DE SER TANTO MELHOR SEM TERES O MELHOR.

Estes são os exemplos mais comuns em que caímos, são coisas mais banalizadas. Toda a gente tem um carro e um telemóvel topo de gama… Por isso tu também tens de ter, não é?

Não, não é. A banalização do consumo leva-nos a sermos iguais a toda a gente, a tomar as mesmas decisões, mesmo que as condições que temos não sejam as indicadas… Esforça-te primeiro. Compra depois. E quando comprares, compra com o TEU dinheiro e, se não for pedir muito, compra de maneira a que a tua conta bancária não fique a zeros! Sê mais criterioso com o que fazes, mais exigente contigo mesmo e mais inteligente nas tuas decisões. Lembra-te disso da próxima vez que quiseres sair de uma dívida! Lembra-te porque te meteste nela… e porque não queres voltar a cometer esse erro!

Dívidas? Como sair delas? Tendo a coragem de nem sequer as contrair em primeiro lugar.

Se precisas de mais ajuda para tratares das tuas dívidas atuais não te esqueças que tenho à tua disposição um acompanhamento de 3 meses onde podemos resolver de forma eficaz esse teu problema! 3 meses de trabalho para no fim festejar! Com um sentimento de liberdade, de conquista!

Até ao próximo artigo! (Todas as sextas-feiras aqui no blog!)

Catarina

2 thoughts to “Dívidas. Como sair delas?

  • Jacinta

    Parabéns. Excelente post.
    Em relação o carro penso exactamente da mesma forma. Tenho um carro com 14 anos e quase não o uso, já é velhote? Sim mas nem por isso me sinto tentada a endividar-se para ir comprar um topo de gama igual ao dos meus amigos e familiares.
    O teu post ajuda as pessoas a pensar de forma consistente.
    Beijinhos e aguardo pelo próximo 😉

    Responder
    • Sobra X

      Muito obrigada Jacinta! É importante pensarmos diferente e não seguirmos determinados comportamentos só porque “é o suposto”. Beijinhos

      Responder

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *